Novas representações da Emmathomas Galeria

Novas representações da Emmathomas Galeria
Júlia Molina

Marcia Pastore e Nazareth Pacheco são os novos nomes da Emmathomas Galeria

Novas representações seguem a proposta curatorial de apresentar um corpo artístico de gerações e suportes diversos

Márcia Pastore e Nazareth Pacheco agora integram o corpo de artistas representados pela Emmathomas Galeria. A escolha por ambas vai ao encontro da proposta da galeria, que prima por apresentar ao público a diversidade da arte brasileira, captando a essência de artistas diversos, que vivem em diferentes regiões do País e também no exterior.

“As duas são artistas de uma mesma geração, mas com vertentes distintas. Trazem a multidisciplinaridade típica do que é a arte contemporânea”, diz Ricardo Resende, diretor artístico da Emmathomas.

Márcia Pastore se dedica a explorar a relação entre o espaço e a escultura. A artista experimenta variadas situações de duplicação de sua própria imagem e do universo em que está inserida, trazendo esses desdobramentos em esculturas e instalações.

Já Nazareth Pacheco transita, principalmente, pelo campo tridimensional, com esculturas e instalações que exploram questões autobiográficas e o corpo feminino. Seu trabalho conversa diretamente com o universo do prazer estético, da busca pela beleza e a admiração, mas sempre em contrapeso com elementos que causam dor, como lâminas, instrumentos pontiagudos, acrílicos e metais.

Sobre as artistas


Marcia Pastore

Nascida em 1964, em São Paulo, atualmente vive e trabalha na cidade. Cursou Artes Plásticas na Universidade  Mackenzie e seu trabalho já foi apresentado em importantes instituições artísticas do Brasil, como o Museu de Arte Contemporânea da USP (1990 e 1992);  Museu de Arte Moderna de São Paulo (1990); Centro Cultural Banco do Brasil, no Rio de Janeiro (1993-2010); Centro Cultural São Paulo (2000); Fundação Nacional das Artes de São Paulo (2012) e  Museu Brasileiro da Escultura e Ecologia (2017). Participou da Arco – Feira Internacional de Arte Contemporânea de Madrid (1998 e 2000) e da inauguração do Vestfossen Kunst Laboratorium em Oslo, na Noruega (2004).

Sua obra integra as principais coleções do país, como Pinacoteca do Estado de São Paulo; Pinacoteca Municipal de São Paulo; Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo; Museu de Arte Moderna de São Paulo; e Instituto Figueiredo Ferraz, de São Paulo.

 

Nazareth Pacheco

Nasceu em São Paulo, em 1961, vive e trabalha na cidade. Iniciou sua produção artística na década de 1980 e integra uma geração que tratou intensamente de questões associadas ao corpo. Cursou Artes Plásticas na Universidade  Mackenzie, em São Paulo, até 1983, e em seguida, em 1987, frequentou o atelier de escultura da École National Superieure des Beaux-Arts, em Paris. É mestre em Artes pela Escola de Comunicação e Artes (ECA), da Universidade de São Paulo.

Já realizou mostras individuais e coletivas em importantes instituições nacionais e internacionais. Entre as de destaque, estão a Maison du Brèsil (Bruxelas), o Instituto de Cultura Brasileira (Berlim), o Centro Cultural São Paulo, o Museu de Arte Moderna de São Paulo, o Jordan National Gallery of Fine Arts (Jordânia), o Museu de Arte Contemporânea de Niterói, o Centro Municipal de Arte Hélio Oiticica (Rio de Janeiro), o Hong Kong Arts Centre (China), a Fundación Caja de Madrid (Madri), o Malba (Buenos Aires), o El museu Del Barrio (Nova York), o Paço Imperial (Rio de Janeiro) e a Pinacoteca do Estado de São Paulo.