Lucas Bambozzi | SoloShow Sp-arte

Lucas Bambozzi | SoloShow Sp-arte
Zwei Arts

LUCAS BAMBOZZI | SOLOSHOW SP-ARTE

A série de trabalhos Último sussurro (2017), de Lucas Bambozzi, aborda sistemas de comunicação anacrônicos e distópicos, permeados por tecnologias disruptivas e em obsolescência prematura. São poéticas possíveis que rompem com a lógica da inovação, apontando dissonâncias em meio à cultura da mediação. Em diálogo com a série estão trabalhos recentes em vídeo, como Redemoinho e Queda, ambos também de 2017, exibidos em um painel com telas LCD de diversos tamanhos e que, ao retratar situações de tormenta e leveza, sugerem formas de apaziguar as ansiedades associadas à velocidade da informação ao nosso redor.

Diante desses fluxos de informação, Lucas Bambozzi optou por fazer dos meios de comunicação o foco de atenção de suas obras. Suscitando formas críticas de consumo tecnológico, o artista aborda a própria condição de transitoriedade e as fronteiras entre os meios para produzir seus vídeos, instalações, objetos e ambientes audiovisuais.

Sobre Lucas Bambozzi

Matão, Brasil, 1965

Artista multimídia e pesquisador em novos meios. Produz vídeos, instalações, performances audiovisuais e projetos interativos, tendo trabalhos exibidos em mais de 40 países. Conduziu atividades pioneiras ligadas a arte na Internet no Brasil entre 1995 e 1999 na Casa das Rosas. Foi curador e coordenador de eventos como Sónar SP (2004), Life Goes Mobile (Nokia Trends 2004 e 2005) e Motomix 2006, Red Bull House of Art (2009) e Lugar Disssonante (2010), tendo atuado também em eventos coletivos como Mídia Tática Brasil (2004), Digitofagia (2005) e Naborda (2012). Foi artista residente no CAiiA-STAR Centre/i-DAT (Planetary Collegium) e concluiu seu MPhil na Universidade de Plymouth na Inglaterra com a tese Public Spaces and Pervasive Systems, a Critical Practice. Como artista dedica-se à exploração crítica de novos formatos de mídia independente. Em 2010 foi premiado no Ars Eletronica em Linz/Austria com o pojeto Mobile Crash e em 2011 teve uma retrospectiva de seus trabalhos no Laboratório Arte Alameda, na Cidade do México. Em 2012 participou das exposições Tecnofagia (Instituto Tomie Ohtake, SP) e da Bienal Zero1 (San Jose, EUA) com trabalhos comissionados pelos organizadores. Entre 2013 e 2014 participa da Bienal de Artes Mediales no Chile, Bienal de La Imagen en Movimiento (BIM) em Buenos Aires, Gambiólogos 2.0 no Oi Futuro, BH, Singularidades, no Itaú Cultural em SP e WRO Media Art Biennale, em Wroclaw na Polônia. É criador e coordenador do Festival arte.mov – Arte em Mídias Móveis (2006-2012) e do Labmovel, um veículo criado para atividades laboratoriais e artísticas em espaços públicos (2012) que recebeu em 2013 menção honrosa no Prixars, do Ars Electronica. É um dos idealizadores e curadores do Multitude, um evento de arte contemporânea que tem como ponto de confluência o embate com o termo multidão. Em 2015 fez a curadoria do projeto Visualismo (MAR Museu de Arte do Rio e Parque Lage, 2015). São uma constante em seus trabalhos recentes as questões relacionadas ao conceito de espaço informacional e as particularidades de uma arte produzida a partir das mobilidades e imobilidades do contexto urbano. É professor no departamento de artes visuais na Faap e na Escola Entrópica no Instituto Tomie Ohtake.

“Último Sussuro” por Lucas Bambozzi

ULTIMO SUSSURO
SP ARTE 2017

GALERIA EMMA THOMAS
SOLO PROJECT
STAND SL13

Pavilhão da BIENAL
PARQUE DO IBIRAPUERA
SÃO PAULO, SP BRASIL

DE 05 A 09 DE ABRIL
WWW.EMMATHOMAS.COM.BR
WWW.SP-ARTE.COM
[email protected]