News

SP-ARTE FOTO 2015 | Stand 27 | Emma Thomas | Shopping JK | 19 a 23 de agosto

A Galeria Emma Thomas participa pela terceira vez da feiraSP-Arte/Foto e apresenta trabalhos dos artistas Gui Mohallem, Lucas Simões, Rodrigo Bueno Bruno Rios, Victor Leguy e Sara Não Tem Nome. A feira com foco nos desdobramentos da linguagem fotográfica, braço da SP-Arte, acontece de 19 a 23 de agosto, no Shopping JK Iguatemi, em São Paulo, e reúne as mais prestigiadas galerias do segmento e importantes nomes da cena brasileira e internacional. 


Os seis artistas elencados pela Emma Thomas apresentam os seguintes trabalhos:

Gui Mohallem

Artista destaque da galeria na SP-Arte/Foto 2015, Gui Mohallem apresenta obras inéditas da série “Terra” (2015) – que, paralelo ao evento, estará em cartaz em exposição na Emma Thomas até 26 de setembro - e obras das séries “Welcome Home” (2010) e “15 11 5 10 7” (2008 e 2010). 

Em “Terra”, o artista busca trazer ao público a experiência da natureza que apequena e abarca, simultaneamente, e de forma arrebatadora. O título da série faz referência aos dois sentidos da palavra “terra”, que pode significar tanto o planeta quanto o chão, o lugar de nascença e de pertencimento.

Na série “Welcome Home”, o artista apresenta os registros de um santuário pagão no interior dos Estados Unidos, onde um grupo se reúne para celebrar o Beltrane, uma festividade entre o equinócio da primavera e o solstício de verão. Enquanto na série “Volta e Me Beija”, Mohallem tem como ponto de partida a cidade norte-americana de Coney Island, que está situada a 45 minutos ao sul de Manhattan e já foi um dos mais importantes pontos turísticos do mundo, com parques de diversão que atraíam visitantes de todo o país e até da Europa. No entanto, após os anos 50, a área foi se deteriorando, “os s brinquedos parados no parque parecem esperar que a vida volte no instante seguinte. O vento frio levantando a areia grossa, o píer com seus pescadores em silêncio, as pessoas sozinhas vagando pela praia, tudo constrói um clima de abandono e introspecção”, conta o artista.


Lucas Simões

Para esta edição, o artista apresenta as séries “Ficções” (2013) e “O Peso, o Tempo” (2013) , trabalhos elaborados com fotografia, subvertendo o conceito entre bi e tridimensional. Na série de obras intitulada “Ficções”, Lucas Simões pesquisou imagens de lugares distantes e inacessíveis, como algumas ilhas isoladas no Pacífico e incluiu nestas imagens espaços em branco, criando repetições volumétricas na paisagem, simbolizando o inacessível na representação do real. 

Já em “O Peso, o Tempo”, o artista traz imagens de paisagens inabitadas e trabalhadas poeticamente através da diluição de fotografias em parafina, e pela transferência da gelatina fotográfica para outros suportes. Uma reflexão entre memória e tempo.



Bruno Rios

O artista apresenta as séries "A medida de todas as coisas" (2012) e "Cara e Coroa, plano real ou o mesmo lado da moeda" (2013).
Em “A Medida de todas as coisas”, Bruno Rios usa frequentemente como plataforma de pesquisa a performance e o registro como tentativa de conter este tempo/ação; neste trabalho, o artista apresenta uma tentativa de mensuração da paisagem a partir de um gesto lúdico. 

Em “Cara e Coroa, plano real ou mesmo lado da moeda”, a obra parte da manipulação simples de um símbolo cotidiano - a moeda de um real - já tão resignificada por outros artistas contemporâneos, mas sempre interessante por seu potencial político e de unidade; Bruno, ao separar os componentes dourado e prateado, cria através de um ato simples uma nova possibilidade tridimensional - o planeta Saturno.


Sara Não Tem Nome 

A artista apresenta as séries “Arma de Osso - Bala de Tutano” (2014), feita em parceria com o artista Pedro Veneroso, “Belo Horizonte” (2012) e “Coarar” (2013). 
Em uma série de seus trabalhos, Sara Não Tem Nome desenvolve fotografias que exploram características da linguagem cinematográfica utilizando-se de registros sequenciais de ações para criar narrativas. Na série “Belo Horizonte”,a simples ação de abrir uma janela discorre sobre as mudanças da paisagem causadas pelo desenvolvimento urbano. Em “Bala de Tutano”, parceria com Pedro Veneroso, é manifesta a animalidade racionalizada do ser humano, onde um osso é a metáfora de uma arma em uma cena enigmática. Já em “Coarar”, a artista apresenta três longos planos fixos que revelam a poética do simples gesto de lavar a roupa e secá-la ao sol, na beira de um ribeirão. A água, as pedras, o som da água corrente, evocam uma contemplação mítica. "Coarar" coloca o espectador numa singela condição de observador, cúmplice da artista na descoberta das sutilezas desta paisagem. 


Rodrigo Bueno

O artista apresenta obras inéditas da série “Vida Nova”, que é um novo desdobramento de sua pesquisa sobre o atrito entre cultura e natureza, a tensão entre a racionalidade e a irracionalidade, o ataque implacável das plantas, da umidade habitada por fungos, traças e cupins sobre s vários objetos e livros. As obras enfatizam a força da natureza reivindicando seu espaço, devolvendo às paginas de livros de arte a vida, fazendo com que neles rebentem plantas, folhagens vivas e reluzentes, até então adormecidas pelos processos industriais. A obra de Rodrigo Bueno celebra o fato de que, afinal, não há morte, mas transformação contínua, encadeamento de estados e transmutações.


Victor Leguy

O artista apresenta as séries "Um estudo sobre a falha" (2014) e "Sobre a mesa ficou o que foi tempo" (2012), trabalhos realizados entre Brasil, Turquia, Síria e Arábia Saudita. Nestes projetos, Victor Leguy questiona a importância da permanência histórica que é apresentada nos livros, objetos e registros históricos como a "verdade", e que formam a imagem do que é mundo. Por meio do pensamento na desconstrução das grandes narrativas históricas oficiais e do processo da "falha", Leguy diz que novos fatos são rearticulados à história emergindo ao longo do tempo, e pesquisados e baseados na história oral como uma fonte que procura resistir ao tempo no mundo contemporâneo.


Galeria Emma Thomas @ SP-Arte/Foto 2015 STAND 27 | segundo andar
Abertura exclusiva para convidados: 19 de agosto, quarta-feira, das 15h às 22h 
Período: de 20 e 21 de agosto, quinta e sexta-feira, das 15h às 21h; 22 de agosto, sábado, das 14h às 21h; 23 de agosto, domingo, das 14h às 20h
Endereço: Av. Presidente Juscelino Kubitschek, 2041 – Vila Olímpia – São Paulo – SP - Shopping JK Iguatemi, 3º piso
Entrada gratuita

Agência Lema
Leandro Matulja/ Leticia Zioni/ Larissa Marques
AgenciaLema.com

Informações para a imprensa: 
Ane Tavares (11) 3871-0022 ramal 239
ane@agencialema.com.br